Boku Dake ga Inai Machi – Analise Ep. 07

Boku Dake ga Inai Machi episódio #07


Nesta semana em Boku Dake ga Inai Machi, a volta do Revival, Satoru agindo mais com a razão e percebendo que não pode fazer tudo sozinho, vamos ao review!



Gostaria que essa habilidade de volta no tempo do protagonista tivesse regras mais claras.
Quer dizer, deu a impressão de que ela foi ativada pela vontade dele, sendo que antes ele dizia que só funcionava quando algo de ruim iria acontecer perto dele e ele era obrigado a impedir se quisesse sair do loop. Aqui, no entanto, a ativação pareceu ligada a vontade dele. Mas se for isso mesmo ele não poderia voltar quantas vezes quisesse? Gostaria que o autor tivesse deixado essa habilidade mais bem explicada.


 
E o momento que tanto esperávamos, o episódio de número 07 de Boku Dake ga Inai Machi, finalmente confirmando que se Satoru está sobe forte estresse, ele também pode conduzir ao Revival, mas ainda sem controlar o período.
Felizmente a volta para o passado, trouxe um Satoru mais centrado no que deve fazer, criando um plano e finalmente pensando como um adulto sem alterar os fatos que podem atrapalhar o rumo das coisas a seu favor, sendo muito mais abrangente como por exemplo na construção de um álibi para o Coragem, aquilo sim foi uma boa sacada!
Interessante que neste episódio é mostrado que além dele, outras crianças percebem a situação de Hinazuki e querem ajuda-la, mas como poderiam ajudar? Situação essa que leva Ken’ya a revelar que já percebeu que Satoru tem atitudes estranhas e ai uma pequena surpresa, se ele sendo criança percebeu quem mais poderia além dele, será que temos um adulto de olho nele também?
Na ânsia de querer por seu plano em prática, fica até perigoso para ele sem mesmo perceber. Um adulto no corpo de uma criança, ele as vezes não parece conduzir muito bem o plano, quer dizer, dar abrigo a uma criança que esta fugindo de casa, tentar machucar um adulto, não aparece ser o melhores dos planos. Se não fosse Ken’ya, que merd* ele teria feito?
Boku Dake ga Inai Machi
KAYO, SUA FOFA!
Aprendemos a duras penas que em Boku Dake ga Inai Machi, nada fica tão tranquilo por muito tempo. Chegamos ao ponto do episódio em que causa nosso desespero semanal e o que mais da raiva, é que a suspeita agora cai para outra criança: é madrugada, o que ela foi fazer ali, porque essa criança já está com mochila escolar? Seria ainda sim o crime de Hinazuki ser um fato isolado no meio de tantos outros, a demora da mãe dela em ligar para o policia, deve-se ao fato de querer se livrar da própria filha e não ter trabalho algum? Caramba…
Boku Dake ga Inai Machi 1
Um episódio inteligente em que Satoru percebe que não tem como fazer tudo sozinho, o lado inteligente de Ken’ya com pequenos testes para saber o que está acontecendo, ficou muito bom, mas ainda sim um episódio, diferente do ultimo, nos enche de mais dúvidas e os suspeitos aumentam cada vez mais.
Boku Dake ga Inai Machi 2
Vamos ver o que nos aguarda para a próxima semana, o que vocês acham? Comentei ai!!!!!

Os últimos dois episódios de Erased como tambem é chamado, tinha-me um pouco preocupado. Não só era a história atual do Satoru não tão convincente quanto a sua viagem ao passado, mas a execução do show também caiu abaixo da fasquia alta que tinha anteriormente definido por si. Enquanto Eraseds tinha inicialmente prometido para ser tanto de um modo poderoso e peça personagem como se fosse um filme policial padrão, houve indicações em ambos os episódios que "Thriller melodramática" foi tudo o que estava indo para agitar-se.
Felizmente, este episódio marcou um forte retorno à forma. Como Satoru é levar longe pela polícia, ele fala a qualquer força dá-lhe o seu poder para ser enviada uma volta mais uma vez. O uso inteligente das sirenes da polícia sugerem a episódio formalmente convincente para vir, como flashes de luz vermelha são cronometrados para coincidir com o seu pleitear mental, até o desejo de Satoru se dissolve em uma mistura de todas as tragédias ele testemunhou, e o tempo pára mais uma vez. segunda jornada de Satoru para o passado abre em total silêncio, uma escolha inteligente que deixa o espectador no mesmo estado de incerteza suspensa como o personagem, até Satoru vira e percebe que ele está de volta ao museu com Hinazuki mais uma vez.
Que a mistura concentrada de enquadramento e design de som formou o primeiro de muitos grandes truques estéticas deste episódio. Em contraste com os excessivamente altos enfeites dramáticos dos últimos dois episódios, cada escolha aqui senti graciosa, intencional, e bonito.Quando Satoru primeiro chegou em casa e viu sua mãe novamente, a câmara escondeu suas lágrimas, em vez revelando sua alegria ao ver sua mãe puramente através de sua reação. Quando Satoru é brevemente incerto se Yuuki é a boa pessoa que ele espera que ele seja, a música não martelo sobre teclas dramáticas - em vez disso, temos uma série de tiros angulares claustrofóbicos, terminando com um quadro sinistro, onde cortador de caixa de Yuuki acaba apontado diretamente para a câmera. E quando o show quer enfatizar posição que tudo vê do professor, o show usa um corte de partida para a transição de seus olhos brilhantes a um par de postes de luz pairando sobrecarga, o que implica a sua presença à espreita, sem dizer uma palavra.
Este episódio não foi apenas cheio de tiros, proposital inteligentes; ele também era apenas muito bonita, e começou muito bem com o ritmo lento mas inevitável da primeira jornada de Satoru ao passado. Uma reunião precoce entre Satoru e Quênia usado as escadas da escola para representar fisicamente sua relação desigual, como os dois cada testado o que o outro sabia. Kenya, aparentemente não só sabia sobre Hinazuki, mas tinha também percebeu Satoru tinha sofrido algum tipo de mudança da personalidade; e, como Satoru colocado para fora seu plano e Quénia comprometeram a ajudar, a cena deu a impressão de que mesmo em comparação com adultos Satoru, Quênia ainda é sábio além de seus anos. Quando Satoru declarou seu desejo de ser um herói, Quênia respondeu: "você não se tornar um super-herói depois de alcançar resultados. Você já é um. "Filosofia do Quênia parece muito mais provável que servi-lo bem na vida do que fretting constante de Satoru sobre encontrar a" resposta perfeita ", e ter certeza que ele não tem absolutamente nenhum pesar na vida.
Em contraste com alterações de tempo cuidadosos de Satoru de sua primeira tentativa, desta vez ele decidiu ir para quebrar , totalmente remover Hinazuki de vida de sua mãe, logo que a festa tinha acabado. Seu "sequestro" de Hinazuki foi pesado com aquela estranha sensação de nostalgia que deu os primeiros episódios um charme tão estranho. Pequenas doses de Hinazuki juntando os dedos dos pés, depois de admitir que um bom tempo que ela está tendo, ou grandes cortes de Quênia e Satoru caminhando para casa através das árvores, todos transmitiu uma atmosfera vívida, colocando o espectador diretamente no mundo dos personagens. Apesar do perigo que espreita, momentos mais brilhantes deste episódio sentida como uma viagem estimado camping, ou o medo ea emoção de esgueirando-se para atender a sua primeira paixão. Erased é sempre muito assistível, mas episódios como este demonstram quão rico de um programa que pode estar.

Extra:


Esses olhos de neko eu ri muito.

Apreciador da cultura japonesa,de animes,mangas,livros,filmes,e series.
Sou o God do Blogg Otaku Wolrd Land,e seu redator principal. Atualmente um estudante de farmácia . 

compatilhe

Postagens Relacionadas

Postagem Anterior
« Postagem Anterior
Postagem Anterior
Postagem Anterior»