Análise Semanal: Mob Psycho 100 #01

Uma estreia um tanto estranha... No bom sentido.

Ouço musicas japonesas pelos diferentes ritmos que a mesma toma, conforme vai sendo tocada, e isto não acontece na OP. Mesmo em seu climax não há diferença de sonoridades, o que não me agrada. Não que isto seja um defeito, na verdade, é mais um gosto meu. Tirando isto, a mesma se encaixou bem com a animação da OP, trazendo além do básico que é a apresentação de personagens, referencias ao emocional de Mob, como é o caso da contagem de 0 a 100 e do coração dele explodindo. Já a ED comentarei assim que a apresentarem oficialmente.

Começamos com um personagem, que parecia ser o Mob, lutando contra diversas criaturas bizarras até que seu emocional chega a 100% e uma grande explosão acontece. Deu pra ter uma noção do porque nosso protagonista decidiu meio que parar de utilizar suas habilidade. Já deu pra ver também que mantiveram a qualidade da animação, que mesmo sendo ao estilo cartunesco, estava bem elegante

Em seguida tivemos a apresentação dos protagonistas. Arataka Reigen parece ser um estudante que ganha a vida com trabalhos de exorcismos, o único problema é ele não possuir nenhum tipo de poder/habilidade para isto. O que nos leva a Shigeo Kageyama (Mob), seu aprendiz.

Reigen, munido de sal de cozinha (deve ter assistido bastante Sobrenatural), foi fazer um exorcismo esperando que nada apareceria. Depois de encenar diversas vezes para que o casal que o contratou acreditasse que ele realmente era profissional, o inevitável aconteceu e um espírito maligno apareceu. Como o sal não adiantou obviamente, Reigen ligou para Mob que rapidamente veio e terminou o serviço.
Mas por que alguém com extrema habilidade seria aprendiz de um cara qualquer? Não sei dizer, mas parece que Mob primeiro acredita que Reigen é extremamente forte (Coitado kkk), segundo que deu a entender que Reigen esta o ajudando com seu controle emocional.

O anime em si apresentou-se ser basicamente uma comédia nonsense com um traço cartunesco. Como exemplo utilizarei a situação acima. O traço do casal foi bastante hilário, bem fora do comum.  Já no prédio, antes do espírito chegar, a senhora menciona que deva haver baratas no local. Um tanto esperado já que era um local abandonada e imundo, o problema é que Reigen fez um "show" por ter medo delas. Particularmente não gosto muito de nonsense, acho as piadas muito forçadas além de quebrarem o clima, mas até que algumas foram engraçadinhas...

A parte final trouxe mais um trabalho da dupla, levando-os a um túnel abandonado. Mob fez todo o serviço pesado, exorcizando todos os espíritos enquanto seu tutor apenas "observava". Ao menos ele tentou  alguma coisa, socando o espírito com sal, novamente não adiantou. 

Enfim, deu pra ter uma boa noção do que esperar para os próximos episódios. Uma comédia que não deve ser levado a sério,  pois algumas coisas irão ficar sem sentido, já que uma pessoa normal não poderia socar um espírito, né?!

Avaliação: 7,0



Extras:
 Gohan, é você?

Amante de games e animes de magia. Passou a vida travando duras batalhas em Rude Midgard tendo seu irmão monge como companheiro. Acredita que a vida seria mais bela se fosse como um MMORPG.

compatilhe

Postagens Relacionadas

Postagem Anterior
« Postagem Anterior
Postagem Anterior
Postagem Anterior»