Serial Killer (Naruto): #01 Prólogo.

Fala Negada! Essa é nova Fic do OWL, baseada em Naruto.
Essa Fic tem uso de personagens do anime, características e tals... Única diferença é simplesmente a história, Hê, hê... Leiam que vocês veram.




Prólogo
(Capítulo 1)
  
   A duas e quinze da madrugada, não avia ninguém nas ruas a não ser uma jovem que corria desesperada nas arruelas de Guangzhou. A garota de cabelos loiros e compridos, pele clara, olhos castanhos, parecia fugir de algo, sempre atenta olhava para trás mais nada avistava. Entrou em um beco sem saída, ofegante a garota se encostou na parede do beco, olhando para trás avistou uma pessoa entrando no mesmo beco. – Se afaste! – Gritava em prantos. Más oque á seguia não parou, em sua mão direita a linda loira avistou uma faca, isto á deixara ainda mais apavorada. – O que queres? – Perguntou á loira. Mais nada respondia o que á seguia. Este foi se aproximando ainda mais da loira sem balbuciar. O medo tomou de conta da garota que fechou os olhos, levou suas mãos ao rosto, deixou seu corpo se sentar lentamente com as costas deslizando lentamente na parede. O desconhecido puxou á garota pelos cabelos e levantou sua cabeça. A loira chorava em prantos – Não! Porque está fazendo isso? – Disse em meio aos choros. Mais nada adiantou, o desconhecido enfiou a faca no meio de sua garganta e deixou seu corpo ali mesmo. O sangue tomou de conta do local. Dos olhos da garota assassinada desceu uma lagrima, deslizando em seu rosto ela se espatifou no chão do beco.

     No dia seguinte seu corpo foi encontrado e identificado a noticia de sua morte cruel se espalhou por Tóquio. Aquela era mais uma característica de um Serial Killer que já atacara mais de quatro garotas nos últimos meses. Suas marcas deixadas era uma morte cruel e sádica, uma de suas vitimas foi encontrada com a barriga aberta e seus órgãos perfurados. Aquilo deixava os detetives em alerta e frustrados, pois nenhum deles não tinham sequer uma suspeita.
Em um quartel da policia civil Sasuke Uchiha ficava pasmo, “como dizer isso ao meu Chefe?”, pensava. Logo em seguida pegou seu celular e ligou para seu chefe – Alô?! Naruto-kun?
O Jovem loiro de olhos azuis com apenas vinte e seis anos já era um prodígio em seu trabalho era o melhor detetive da cidade. Despertou com o toque do seu celular, olhou para a porta de seu quarto procurando algo, depois foi atender ao telefone. Era seu ultimo dia de folga e já começou a reclamar porque o telefonema era do seu trabalho. – Sim, Sasuke?

       – Chefe o Serial Killer fez mais uma vitima... – Antes de continuar o Sasuke respirou fundo, um olhar de tristeza tomou de conta de sua face. O jovem de vinte e quatro anos, cabelos escuros, continuou com sua fala – Ele matou sua esposa... – Do outro lado do telefone Naruto ficou paralisado, deixou o telefone cair de sua mão. Sasuke ficou falando sozinho. O jovem loiro caiu de joelhos no chão, começou a aperta sua cabeça, lembranças vinham nela, lembranças que foram deixadas para trás á muitos anos. O garoto lembrou-se de quando era criança, preço no guarda roupa do quarto de seus pais lá dentro ouvia gritos vindos de sua mãe Kushina, seu pai era policial mais trabalhava muito e não estava em casa quando foi atacada por três bandidos que abusaram sexualmente de Kushina logo em seguida á matarão. Aquela lembrança de gritos não saia de sua mente – Novamente não... Não... N-não... – Balbuciava o rapaz. Aquele sentimento de perda voltou mais uma vez, aquilo deixava o loiro em uma constante paralisia, mais isto foi quebrado quando uma voz suave e inocente de uma criança veio da porta de seu quarto – Papai? – O jovem virou e olhou para a porta, lá de olhos azuis como o mar, cabelos dourados, vestida de pijama abraçada com um urso de pelúcia, estava sua filha. O rapaz não sabia oque pensar ou falar naquele momento. A menina tinha apenas quatro anos, era bastante inteligente como o Pai e meiga e amável como a mãe. O seu pai ali de joelhos no chão chorando deixou a garota atordoada não sabia oque acontecera, nunca avia visto seu pai daquele jeito antes, sempre ó via alegre com a mamãe, os dois sempre brincalhões deixava um rasto de felicidade por onde passava. – Papai, oque houve? – Pergunto a linda garotinha, Maysa. O pai sem saber oque falar á abrasou fortemente, e lhe respondeu – Tá tudo bem filhinha vou lhe levar para a creche, papai tem que ir para o trabalho. – Lagrimas de tristeza começaram a querer sair dos olhos da menina, a tristeza que seu pai parecia estar sentindo começou a refletir na garota embora não saiba oque acontecera.

       Alguns minutos depois Naruto á levou para creche. A menina saiu do carro e acenou para seu pai, a tristeza que este sentia era notável, deixando a linda loirinha Maysa pensativa, tanto quanto que nem notou a falta de sua bela mãe.

       Em direção ao seu trabalho Naruto ficou pensativo, lembrava-se dos lindos momentos com sua linda Ino Yamanaka e como seria daqui para frente sem ela. Em um deslize de lembranças o carro de Naruto bate na traseira de outro. O jovem bateu a cabeça no volante e desmaiou. Mais tarde acordou no hospital, já era sete horas da noite, o garoto atordoado lembrou-se de sua filha, desesperado por que ela estava na creche achava que ela ainda estava ou na casa de sua professora, quando olhou para o lado viu a linda Maysa sentada em uma cadeira dormindo como um anjinho, um leve sorriso tomou de conta de seus lábio mais em seguida mais lagrimas descerão de seus olhos. – Naruto que bom que acordou. – Disse Sasuke que estava ao lado direito do rapaz. Logo em seguida Maysa acordou. O Sasuke pediu para a menina se retirar da sala de hospital para ele conversa em particular com Naruto, a menina educada se retirou, em seguida o detetive Sasuke tomou uma postura seria, e disse para Naruto. – Eu. Foi busca-la na creche depois que soube de seu acidente. Naruto nosso laudo de seu “suposto acidente”, parece que foi proposital. Naruto você não tentou se suicidar certo? – Neste momento Naruto virou sua cabeça para janela, e respondeu para Sasuke – E se eu tivesse? Não tenho mais razão para viver. Eu achava que era bom no meu trabalho mais não sou se eu tivesse pegado este Serial Killer muito antes isso nunca aconteceria, a culpa é minha toda minha. E agora? O que falarei para Maysa?
– Droga Naruto! Pare de se culpar! Você tem que cuidar de sua filha! Ela precisa de você! Nós precisamos de você! Vamos pegar esse Serial Killer, você tem que lutar Naruto, você e bom no que faz! – Vociferou Sasuke. – Sou bom no que faço? – Balbuciou Naruto. Este começou a lembra do tempo em que Maysa era apenas uma recém nascida. Em seus braços a linda garotinha chorava, Naruto desesperado não sabia oque fazer, dava voltas na sala para tentar acalma-la. E em um sofá no canto Ino dava risadas em ver seu amado fazendo tudo errado. Ela levantou e foi até os dois, tomou a Maysa em seus braços e magicamente a garotinha parou de chora, logo em seguida a loira começou a cantar a tão famosa musica de ninar.
Dorme Neném que á cuca vai pegar,
Papai foi pra rosa mamãe foi trabalhar....
Dorme Neném que á cuca vai pegar,
Papai foi pra rosa mamãe foi trabalhar....
Estas lembranças tomaram de conta de Naruto que começou a chorar. No Hospital entrou dois maltrapilhos pareciam moradores de rua. Foram até o quarto de Naruto, um de cabelos brancos e longos ficou no lado de fora do quarto, outro de olhos azuis e cabelo amarelo entro. La dentro pediu para que Sasuke saísse do quarto, este saiu. O Homem fora bonito tinha uma aparência maltratada e parecia um pouco bêbado. – Naruto, você sabe que eu não sou muito de falar, sempre quando você era criança eu nunca lhe dava a atenção necessária. Por isso quero lhe pedir Naruto erga-se, seja forte e cuide de sua filha. – Um ódio tomou de conta de Naruto e sem pensar o rapaz vociferou – Droga pai! Cale-se você é só um bêbado desvairado não sabe oque eu estou passando! – Depois destas falas um silencio tomou de conta da sala. Minato Namikaze pai de Naruto baixou a cabeça, lagrimas escorreram de seus olhos e com um nó na garganta ele retrucou – Naruto... Eu sei oque você esta passando. Quando cheguei em casa e vi sua mãe morta com as roupas rasgadas no quarto eu puxei minha arma da minha cintura e apontei para minha cabeça, quando eu estava pronto para aperta o gatilho você saiu do guarda roupa chorando e abraçou sua mãe. Meu mundo paralisou eu queria morre, me matar ali mesmo, mais fiquei para cuidar de você, porém não fiz isso muito bem não é? Entrei no mundo da bebida, ela não acabou com minha dor, más quando eu estou bêbado eu não sou mais eu, o verdadeiro eu dorme por horas até o efeito do álcool acabar. Por isso eu bebo sempre... Mais eu lhe peço Naruto não faça como seu pai, seja forte e cuide de sua filha.
Naruto ali em meios aos choros que queria segurar perguntou para seu pai em um tom baixo – Pai. Será que este mal persegue nossa família? – Este respondeu – Não sei filho... – O homem limpou suas lagrimas e saiu da sala e foi embora junto a seu parceiro de bebidas e Pai de sua falecida esposa, Jiraya. Logo após Naruto ganhou alta, Sasuke ó levou junto á sua filha para a casa deles. Logo em seguida o detetive Sasuke arrumou sua grava, “Meu chefe e meu melhor amigo esta mal, mais mesmo assim tenho que comemorar, afinal de contas finalmente a Hinata-chan aceitou meu pedido de namoro, e melhor eu ir para nosso encontro”, pensou. O jovem detetive era apaixonado pela tímida morena desde os tempos de escola. Sasuke sempre se declarou para amada, porém, ela sempre rejeitava. Mais em meio a tantas declarações de amor um dia antes da morte de Ino, Hinata Hyuga aceitou o pedido.

      Naruto em sua casa ficava olhando sua linda filha brincar com suas bonecas. O jovem não sabia como falar para a menina que sua mãe morreu e nunca mais ira voltar. “Como serei sem minha delicada Ino, como viverei sem seus delicados toques que acalmam a min e a Maysa. Sempre quando eu resolvia um caso ou estava perto de resolve chegava em casa e contava para ela, e ela preparando o jantar ouvia todo o meu falatório. Como sereia sem sua pele macia seu cheiro delicioso?” – pensava Naruto.

compatilhe

Postagens Relacionadas

Postagem Anterior
« Postagem Anterior
Postagem Anterior
Postagem Anterior»